Animes e Mangás

[ANÁLISE/SPOILER: HAIKYUU!!] Karasuno vs Nekoma: A Batalha do Lixão

Galera, dessa vez, eu trago para vocês a minha análise sobre um anime/mangá que amo MUITO: Haikyuu. Especificamente, essa análise será sobre a partida mais recente do MANGÁ. Então, antes de começar de fato com a análise, é sempre bom avisar que teremos muitos spoilers do mangá aqui, fiquem atentos. Caso você tenha assistido as três temporadas do anime de Haikyuu!! e não acompanhe o mangá, comece a ler em qualquer scan a partir do capítulo 190! Recomendo a leitura nesses locais: Mangá Host, Union Mangás, Kyodai Scans, Central de Mangás e Mangá Livre. Não conhece Haikyuu!? Então bora começar a assistir esse anime, porque ele é divino (e para os desavisados, trata-se de um anime/mangá de vôlei).

Vai ser um texto longo e com muitas imagens para complementar, eu fiz com muito amor e carinho, então espero que vocês gostem.

Finalmente a batalha do lixão aconteceu! Foi o jogo mais esperado de Haikyuu, tendo seu cenário montado desde o começo do mangá, no segundo amistoso do Karasuno (o primeiro foi contra Aobajousai). Nós mal conhecemos os rivais dos corvos e já simpatizamos com eles, pois o entrosamento do time e personalidade de seus jogadores era semelhante aos do Karasuno. Conhecemos Kuroo e Kenma, os “protagonistas” da Nekoma, mas, por enquanto, irei focar apenas no garoto do cabelo de pudim. Kenma é alguém esquisito para os padrões normais de um jogador, já que ele não se interessa muito pelos esportes, não é muito atlético e vive sempre desanimado. Entretanto, o garoto é extremamente inteligente, tanto que os jogadores de seu time consideram-no como sendo o cérebro da Nekoma. Os gatos saíram vitoriosos no primeiro amistoso, e a partir daí surgiu uma promessa entre Kenma e Hinata: Os times iriam se enfrentar novamente numa batalha onde não haveria uma segunda chance, um tudo ou nada, onde o Hinata faria o Kenma admitir que jogar vôlei era divertido.

Agora que nós já lembramos o começo de tudo, vamos ao presente! Antes de começar a análise, acho importante destacar algumas observações que acompanhei a partir de discussões no fandom ao longo desse jogo. Algumas pessoas comentavam que seria forçado demais a Nekoma ganhar do Karasuno, pois eles eram um time “mais fraco”. Durante o mangá, nós acompanhamos detalhadamente os jogos e a evolução do Karasuno. Já com a Nekoma, nós acompanhamos muito pouco da trajetória deles, apenas vendo as eliminatórias de Tokyo, com eles enfrentando a Fukurodani e Nohebi. A Fukurodani é uma potência, e a Nekoma perdeu para o time das corujas, mas felizmente eles conquistaram a vaga para o Nacional pela repescagem em uma vitória contra a Nohebi. Obviamente, em questão de nome, a Karasuno já era a favorita, por ter ganhado da poderosa Shiratorizawa. A vantagem aumentou ainda mais quando os corvos ganharam das raposas (Inarizaki) no nacional, que era uma das equipes favoritas a ganharem o torneio. Favoritismo existe em esportes, e até mesmo os próprios meninos da Nekoma sabiam e a analisaram isso, mas não é certo desmerecer um time e afirmá-lo como perdedor por causa disso. Vocês já observaram que, antes desse jogo, a Karasuno não havia ganhado nenhum set contra a Nekoma!? Convivemos diariamente com esportes no Brasil, principalmente o futebol, e não é raro de ver o líder do campeonato perder para o lanterna, por exemplo. O que eu quero dizer é que não é porque X vence Y, e Y vence Z, que o X vai necessariamente ganhar de Z. Um exemplo mais fácil, e que foi mencionado no mangá pelo Kuroo: é como um jogo de Pedra, Papel e Tesoura. Além de tudo isso, nós não podemos deixar de falar de fatores externos, que estão mais do que presentes nos esportes. O cansaço físico, dores, mal-estar, suor e tantos outros podem determinar a vitória ou derrota de um time facilmente, por exemplo. A condição física e psicológica dos jogadores durante uma partida é extremamente determinante, e, na batalha do lixão, as coisas que eu citei foram muitas vezes usadas.  E, claro, talvez a coisa mais importante a ser analisada agora seja a rivalidade entre ambos os times. Enquanto o Karasuno tem um vasto campo de opções para ataques, a Nekoma tem jogadores especializados em defesa. Ou seja, os gatos são os inimigos naturais dos corvos, e a dinâmica da batalha do lixão é defesa total VS ataque total.

 

Essa rivalidade começou graças aos técnicos de ambos os times, Ukai e Nekomata, que em sua juventude criaram a “famosa” batalha do lixão. Infelizmente, o jogo nunca havia acontecido de forma oficial, foram apenas em amistosos. E é aqui que começamos a análise, pois a atual geração de ambos os times conseguiram se classificar para o nacional e cair na mesma chave de grupo, além de, claro, terem vencidos todos os adversários até então.

O jogo foi extremamente equilibrado durante os três sets, funcionando como o de costume: Karasuno com forte poder ofensivo e Nekoma ajustando suas engrenagens da defesa de acordo com os ataques que recebiam. Tivemos muitos rally (que é quando a bola é passada várias vezes de um lado da quadra para o outro sem cair) durante a partida, com ambos os times mostrando força e determinação para vencer. Novamente, aqui devo ressaltar que a Nekoma foi muito subestimada nesse jogo, pois tinham pessoas achando que a Karasuno estava sendo “nerfada”, já que a Nekoma conseguia defender a maioria de seus ataques. Eu discordo, porque o estilo de jogo da Nekoma é trabalhar muito mais na defesa do que no ataque. É sempre dito em todos os jogos da Nekoma que os gatos demoram um pouco para pegar o ritmo, porque eles observam o adversário atentamente para depois atacá-lo. Eles esperam sofrer os ataques para depois ver como irão lidar com eles. “A defesa é o melhor ataque”. Os gatos começam a se tornar problemáticos quando eles se acostumam com o jogo e quando conseguem previr os ataques do adversário, que é o que aconteceu em boa parte do jogo. Karasuno jogou à altura, atacando com suas melhores habilidades e surpreendendo muitas vezes a Nekoma. Um detalhe muito importante é que a Nekoma usou novamente a tática de tentar parar o Hinata, porém, ela foi muito menos eficaz nessa partida do que em todos os outros jogos entre os gatos e os corvos, pois em momento algum o Hinata ficou completamente “inútil”.

Agora, eu irei analisar individualmente os personagens que mais tiveram destaque na batalha do lixão. Tivemos muitos desenvolvimentos, mas eu destaco principalmente o Tsukishima e o Kenma.

Começando pelo Hinata, que trouxe toda a bagagem de sua atuação da partida contra Inarizaki. Como mencionei antes, um dos objetivos da Nekoma era parar o número dez do Karasuno, e foi criada uma metáfora incrível nesse jogo do “pássaro preso numa gaiola”, aquele não consegue voar, associando o poder de pulo de Shouyou ao seu apelido de “corvo demoníaco”. Claramente, o plano de Kenma era fazer com que o Hinata não participasse mais do poder ofensivo do Karasuno, mantendo-o mais na defensiva e retendo um pouco a pontuação dos corvos, já que o Hinata é um dos que mais pontua pelo seu time. Por um bom tempo durante a partida, os jogadores da Nekoma focaram em acertar os saques em Hinata, fazendo com que ele desse o primeiro toque na bola, além de atrasá-lo ou impedi-lo de atacar em seguida. Isso atrapalhou bastante o camisa dez dos corvos, mas graças a sua agilidade monstruosa, ele conseguia defender, correr e finalmente pular para acertar um corte matador. Depois, a Nekoma começou a usar outros jogadores do Karasuno, como Nishinoya e Daichi, para impedir que Hinata corresse e pulasse para atacar. Apesar disso tê-lo parado, não tornou o Shouyou inútil no jogo, já que ele ainda participava da defesa e salvava o time muitas vezes. Além de todo o plano montado, o estresse começou a acumular em Shouyou, pois Kenma se mostrou, novamente, desanimado com a partida. Hinata até mesmo escorregou em seu próprio suor quando ele finalmente iria atacar, depois de tanto tempo sem participar do ataque, mas, felizmente, o plano de Kenma para fazer Shouyou se frustrar saiu pela culatra, pois ele continuava otimista. O camisa dez conseguiu vencer todas as barreiras usando, finalmente, o seu novo pulo, com o codinome de “Open”. De todas as vezes que o Hinata usou esse pulo, ele só foi impedido uma única vez pelo líbero da Nekoma, Yaku. Os gatos tentaram parar Shouyou com uma terceira tática, que foi aumentar a altura de seu bloqueio, adicionando Inouka no time, para impedir de vez os ataques de Hinata. Apesar disso,  Hinata conseguiu vencer todos os obstáculos impostos pela Nekoma, além de quebrar a gaiola e conseguir voar novamente como um corvo livre. É interessante comparar essa evolução toda do camisa dez com os jogos anteriores do Karasuno VS Nekoma, onde Hinata foi completamente parado pelos bloqueios de Inouka, por exemplo. Além disso, Hinata também concluiu sua promessa com Kenma, mas irei falar mais sobre isso na parte do camisa cinco da Nekoma.

Primeira tática

Segunda Tática

Terceira Tática

Outro que se destacou no Karasuno, acredito que ainda mais que o Hinata, foi o Tsukishima! Eis que tivemos a conclusão perfeita da evolução de personagem. Além de termos a batalha entre discípulo e mestre, Tsukishima finalmente está se divertindo ao jogar vôlei! Essa pergunta vem desde o acampamento de treino, quando Bokuto pergunta se o Tsukki achava o esporte divertido. Esse momento lindo veio acompanhado de Yamaguchi, seu melhor amigo, que tinha a vontade de combinar o saque viagem com bloqueio. Tsukki disse que seria impossível vencer Kuroo, seu mestre, sozinho. E uma das pessoas que poderia ajudá-lo era Yamaguchi, que segundo ele, é o homem que estava na sua frente. Eu amo demais essa dupla, pois além dos dois terem um dos melhores flashbacks do mangá, eles se complementam incrivelmente dentro e fora de quadra. São a lança indestrutível e o escudo impenetrável do Karasuno. Tsukishima até comemorou o ponto marcado com Yamaguchi, de tão bom que ele foi! Aliás, Tadashi também foi o primeiro jogador do Karasuno a conseguir um ponto de saque contra a Nekoma (detalhe que até mesmo o Kageyama demorou para acertar um saque direto contra a Nekoma, enquanto que o Yamaguchi conseguiu assim que entrou em quadra). Durante toda a partida, apesar de dizer o contrário, Tsukki conseguiu bater muitas vezes de frente com o Kuroo. Aposto que nesse momento o capitão da Nekoma se arrepende de ter sido tão “generoso” com Tsukki, ao ensiná-lo suas técnicas de bloqueio.

Tivemos outro flashback de Kenma e Kuroo, outra dupla de respeito do mangá. Descobrimos que Kuroo era um garotinho MUITO tímido, e que Kenma, na verdade, começou a jogar vôlei por causa de Kuroo. A mente manipuladora do capitão da Nekoma funcionava desde a infância, e ele convenceu Kenma a ser um levantador, alegando que os mesmos não se mexiam quase nada e que só ficavam na parte estratégica. Apesar de ter convencido Kenma a jogar vôlei junto dele, Kuroo nunca obrigou o seu melhor amigo a fazer nada que ele realmente não quisesse, além de ter afirmado ao pai de Kozume que o mesmo se dedicava totalmente a algo que ele gostava. Isso fez com que Kenma seguisse Kuroo no esporte, que mesmo não gostando muito do cansaço e esforço que o vôlei lhe proporcionava, ele se importava com Kuroo a ponto de entrar nos times de vôlei da escola (ensino fundamental e médio) para auxiliá-lo. E, até hoje, Kenma segue firme no vôlei por causa do seu melhor amigo. Essa foi um dos flashbacks mais bem trabalhados da obra, mostrando toda a grandeza de ambos os personagens.

Olha o Brasil aparecendo em Haikyuu novamente <3

Na Nekoma, o protagonista com certeza foi o Kenma, e eu considero-o como sendo o personagem mais desenvolvido nesse jogo. Normalmente, o camisa 5 planeja estratégias sem se importar se vencerá ou perderá os jogos, ele apenas vai no “comando automático”. Desta vez, Kenma estava empolgado. Talvez ele não tenha se interessado em vencer, mas ele com certeza não queria que o jogo terminasse. Foram diversas estratégias criadas durante o jogo, montadas de acordo com a rotação do time do Karasuno. Conhecemos a força de vontade de Kozume nesse jogo, ele se doou de corpo e alma para que a batalha durasse o máximo possível, e nesse processo ele acabou se divertindo, muito. Finalmente o Kenma, que não ligava para o esporte, divertiu-se jogando vôlei numa batalha extremamente épica. Diversas vezes, o Kozume comparou essa partida com jogos de vídeo game, assimilando o Hinata como o “Final Boss” enquanto ele seria o responsável por enfrentá-lo e vencê-lo. Era engraçado, porque Kenma também assumiu várias vezes o papel de vilão ao tentar prender o herói numa gaiola e impedi-lo de voar, tanto que em determinada parte da partida, Kozume fica triste por Shouyo ter ficado temporariamente desinteressante de derrotar, além de entender os sentimentos de um vilão que está enfrentando o herói quando o mesmo está quase morrendo. Referências a Dragon Quest e The Legends Of Zelda rolaram soltas nesse jogo! A evolução de Kenma chegará no ápice quando o mesmo estiver no terceiro ano, já que ele não estará jogando vôlei por causa de Kuroo, mas sim por vontade própria. Há até mesmo chances dele ser o próximo capitão da Nekoma.

Tivemos uma grande batalha entre líberos, com Yaku e Nishinoya mostrando o porquê de serem chamados de guardiões de seus respectivos times. Morisuke defendeu ataques de Yamaguchi, intimidou Asahi e conseguiu recepcionar o novo ataque do Hinata em sua terceira tentativa (lembrando que o camisa 10 acertou o “Open” em sua totalidade na segunda tentativa, já que na primeira ele encostou muito mal a bola, surpreendendo a todos). Apesar desses momentos épicos de Yaku, Nishinoya não ficou atrás. Yuu melhorou sua agilidade (lembrando que ele foi repreendido por Kageyama no amistoso contra Datekou por ter atrapalhado a corrida de Asahi para o corte), realizou levantamentos quando Kageyama era incapacitado pela Nekoma, salvou o time inúmeras vezes e teve, novamente, um momento épico de recepção com o pé (mesmo em movimento e de costas para a bola, Nishinoya mostrou novamente seus reflexos absurdos ao salvar a bola lindamente usando seu calcanhar).

Uma das armas mais perigosas da Karasuno, na visão da Nekoma, era o Kageyama. Tobio demorou um pouco para acertar completamente seus saques na quadra da Nekoma, mas ele conseguiu realizar vários ACES na quadra dos gatos, que são os especialistas em defesa. Além disso, ele finalmente conseguiu estabilizar seus levantamentos livres para Hinata realizar o “Open”. Seus levantamentos foram impecáveis, como sempre, tendo até mesmo uma referência ao Oikawa, quando Kageyama aponta o dedo e realiza um levantamento perfeito para Asahi, o craque do time, do outro lado da quadra. Aqui eu também destaco Kai, camisa 2 da Nekoma, que recebeu perfeitamente vários saques monstruosos de Kageyama. Além disso, tivemos a batalha entre Yamamoto e Tanaka, que aconteceu tanto dentro de quadra como fora da mesma, com suas irmãs, liderando as torcidas de ambos os times. Apesar da Nekoma ser um time defensivo, os gatos tem Inouka e Lev para aumentar a altura do bloqueio e dos ataques ofensivos. Destaco, principalmente, o Inouka, que começou a mudar sua posição de centro para ponta, com o objetivo de substituir Kai futuramente no time, além de realizar recepções maravilhosas. Por fim, mas não menos importante, tivemos a batalha entre capitães. Daichi mostrou muito mais vontade de poder ofensivo do que defensivo nesse jogo, tanto que no final do primeiro set, o capitão acabou se afobando ao querer participar do ataque sincronizado dos corvos e se esqueceu de recepcionar, dando o ponto e o primeiro set aos gatos (obviamente, Kenma também tem um enorme dedo de culpa nesse lance, já que ele conseguiu induzir os corvos ao erro depois de perceber que eles estavam afobados). Kuroo, como sempre, brilhou nos bloqueios, e apesar de ter recebido provocações e ter sofrido pontos de Tsukishima, ele com certeza não perdeu para seu discípulo e nem para o capitão dos corvos. Além do flashback que já comentei, Kuroo aumentou diversas vezes o astral da Nekoma e incentivou seu time, principalmente no final do segundo set.

Agora que já falei da atuação dos jogadores, vou comentar sobre os pontos finais de sets, e todos foram bastante peculiares. O primeiro set foi ganhado pela Nekoma, que como comentei anteriormente, foi um misto de afobação e de estratégia. O plano de Kenma foi o fator determinante, pois o levantador estava analisando a rotação do time do Karasuno desde o começo da partida. Ele aproveitou a afobação do Karasuno e também jogou a bola num local difícil, pois era onde Kageyama estava obstruindo o caminho ao correr para a linha de frente (para realizar o levantamento), e também o ponto cego de Nishinoya, que estava no outro lado extremo da quadra. Basicamente, a Karasuno sofreu esse ponto numa bola vindo de um ataque, fazendo contraste com o final do segundo set, ganhado pelo Karasuno, que foi marcado por Hinata a partir de uma recepção, que acabou caindo na quadra da Nekoma e marcando o ponto. O curioso desses dois pontos em finais de set foi que cada um dos times sofreu ataques de suas especializações: Karasuno sofreu ponto por um ataque e Nekoma sofreu ponto a partir de uma defesa. Além disso, o segundo set foi a primeira vitória de um set da Karasuno contra a Nekoma. Para o terceiro set, nós voltamos na discussão de fatores externos que eu mencionei no começo da análise. Muitas pessoas não engoliram esse final, acharam decepcionante por terem esperado algo épico. Eu adorei a resolução justamente por ter sido algo extremamente realista no voleibol: a quantidade de suor acabou tornando a bola escorregadia, causando o erro fatal de Kenma e também a derrota dos gatos. Foi uma derrota brusca, um final inesperável que surpreendeu a todos. Isso é uma coisa que não tem como ser esperada e nem prevista, e eu falo isso me referindo tanto ao mangá quanto à vida real. São fatores externos, eles podem acontecem a qualquer momento sem que a gente perceba. E, apesar de termos jogadores extremamente habilidosos de ambos os times, eles continuam sendo garotos de ensino médio, eles estão totalmente passíveis a esse tipo de coisa. É como errar o saque acertando-o na rede (que pode ou ser causado por um erro técnico, ou por um erro de força, ou por um erro de toque e até mesmo pela resistência do ar); é como escorregar no suor no meio da quadra; é como não conseguir alcançar a bola com um pulo ou errar o toque na bola enquanto você está no ar, e enfim, são n possibilidades.

Final do primeiro set

Final do segundo set

 

 

Final do terceiro set

A vitória na grande e incrível batalha do lixão foi do Karasuno, e o mais lindo de tudo foi ver o quanto os nossos garotos se divertiram. Além de serem rivais, eles também são amigos, e diferente de outros jogos, com o clima feliz de um lado e triste de outro, tivemos uma sensação de satisfação vinda de ambos os lados. Daremos adeus ao atual time da Nekoma, com Kuroo, Yaku e Kai saindo do time, mas eles com certeza tiveram o melhor campeonato da vida deles – até o atual momento da obra. Kenma foi o jogador que mais evoluiu nessa partida, além de ter realmente se divertido, ele começou a gostar, de verdade, de vôlei. É um momento tão grande quanto o de Tsukishima, no seu bloqueio contra o Ushijima. E por fim, mas não menos importante, a promessa do lixão, feita entre os técnicos em sua juventude, foi concluída! Foi realmente uma pena o Ukai não estar presente no Nacional, já que ele está internado no hospital. Entretanto, isso não o impediu de acompanhar o jogo pela Televisão e nem de estar presente no jogo, através de seu neto, o atual técnico do Karasuno. O momento do aperto de mãos entre Nekomata e Keishin (Ukai) foi lindo, marcante e arrepiante.

Ao total, tivemos 32 capítulos de jogo, iniciada no capítulo 293 e finalizado no capítulo 325.  Considerando que foi um jogo de 3 sets, foi uma partida longa comparada aos padrões normais de Haikyuu (Karasuno VS Inarizaki foi uma batalha de 3 sets e teve 37 capítulos de duração; Karasuno VS Aobajousai também foi uma batalha de 3 sets e teve 19 capítulos de duração). Pontuação do jogo: primeiro set foi 25 Karasuno X 27 Nekoma; segundo set foi 26 Karasuno X 24 Nekoma; e o terceiro set foi 25 Karasuno x 21 Nekoma. O jogo começou no dia 10 de Março de 2018 e foi até 2 de Novembro de 2018.

Enfim, galera, o que acharam da análise!? De um trabalhão para escrevê-la, então, se vocês puderem deixar um pequeno feedback eu ficaria MUITO feliz, nem que seja o simples “ótima análise”, haha. O próximo adversário da Karasuno será Kamomedai (o time do novo pequeno gigante)! Estou muito empolgada por essa partida, e também pretendo escrever uma análise sobre ela assim que o jogo terminar! <3

 

“KARASUNOOOOOO: FIGHT!”.

Deixe seu comentário

Tags

Relacionados

Confira Também

Close